fbpx

Bebê de um ano morre enquanto brincava em balde

Por

DISTRITO FEDERAL| Na manhã de quinta-feira (3), um bebê de 1 ano, morreu após se afogar enquanto
brincava dentro de um balde com água. De acordo com o depoimento da mãe do menino à Polícia Militar,
ela estava limpando a casa no momento em que notou que o filho estava se afogando.
O acidente doméstico ocorreu em Formosa, Distrito Federal.
Ainda segundo as autoridades, a mulher colocou o filho no colo e saiu na rua para pedir ajuda.
O menino chegou a ser levado para o hospital, mas já estava sem vida. O corpo do bebê foi
encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Formosa.
A mãe da criança pode responder por homicídio culposo – quando não há a intenção de matar.
A Polícia Civil irá investigar o caso.

Artigo originalmente publicado no link abaixo:

https://expressoam.com/acidente-domestico/bebe-de-um-ano-morre-afogado-enquanto-brincava-em-balde/

O que fazer para evitar este tipo de acidente

As áreas que oferecem maior risco de afogamento em utensílios domésticos estão localizados na lavanderia ou área de serviço, onde há utensílios que também podem causar ferimentos e acidentes, tais como baldes e vasilhas de diferentes tamanhos, formatos e materiais. É importante sempre mantê-los vazios e virados para baixo, pois uma criança pode afogar-se com poucos centímetros de água.

Os afogamentos são a segunda causa de mortes entre crianças e adolescentes até 14 anos no Brasil. A situação se agrava nos períodos de falta d’água e épocas do ano tipicamente muito quentes. Há também, independentes das estações típicas de calor, regiões que tem muito calor boa parte do ano.

Devido à estas particularidades que as medidas de segurança devem se fazer sempre presentes, já que nosso país tem clima quente naturalmente a maior parte do ano. Devido a isso, é muito comum que se armazene água em baldes, bacias, tanques de lavar roupa, banheiras, máquinas de lavar roupa, tanquinhos e outros recipientes que possam ser utilizados para este fim.

Se for inevitável que se use estes recipientes improvisados, mantenha-os em ambientes isolados e fora do alcance de crianças. Caso não haja ou não seja possível ter portão, do tipo babygate, ou bloqueio de acesso a estes ambientes, o ideal é não armazenar ou então, manter seus pequenos sob vigilância constante para evitar que o pior aconteça. Bastam poucos centímetros de água para que uma criança pequena morra afogada se não for socorrida a tempo. Quando estiverem fora de uso, mantenha os recipientes emborcados para baixo. Alguns recipientes quando deixados ao tempo, caso chova pode acumular água e passar desapercebido.

Onde está o real perigo

É importantíssimo que estejamos atentos aos mais inofensivos dos perigos que envolvem a combinação crianças e água. Abaixo uma lista de muitos dos locais e situações que podem causar afogamentos fatais.

https://preveniremcasa.com.br/6-dicas-para-a-seguranca-do-seu-filho/

  • Tanques de lavar roupa – mantenha sempre vazio quando não estiver em uso. Se precisar deixar roupas no molho, garanta que a criança não terá acesso. Mantenha banquinhos, escadinhas ou qualquer outro objeto que possa ser usado para que a criança possa usar para subir;
  • Máquina de lavar roupa. Mantenha a tampa sempre fechada e a máquina vazia quando fora de uso. Existem travas que podem ser usadas para impedir sua abertura, caso uma criança tente abrir a tampa. Da mesma forma que pra os tanques, é importantíssimos manter banquinhos, escadinhas ou qualquer outro objeto que possa ser usado para que a criança possa usar para subir;
  • Pia da cozinha – Se precisar deixar louças de molho ou mesmo algum alimento imerso em água, garanta que crianças pequenas não tenha acesso a ela. Coxinhas devem ter bloqueios de acesso. Portões do tipo babygate é uma ótima opção;
  • Vaso sanitário e bidê sanitário. Existem bloqueios para vasos sanitários e no caso do bidê, manter sempre vazio;
  • Cisternas e caixas d’água. Manter estes reservatórios sempre com a tampa e inacessível aos pequenos;
  • Qualquer tipo e tamanho de piscinas devem ter acesso restrito à todas as crianças. Jamais permitir que crianças brinquem em piscinas sem o acompanhamento de uma adulto ou responsável, mesmo as piscinas pequenas podem ser uma grande ameaça para a crianças menores. Não confie em boias e outros tipos de flutuadores que ficam soltos. Apenas um colete de boa qualidade e adequado ao tamanho e peso da criança poderá garantir maior segurança. Após a diversão acabar, jamais deixe brinquedos e flutuantes que possa atrair o interesse das crianças na piscina. A tentar pegar um destes brinquedos ou acessórios, a criança pode cair na água e se afogar;
  • Poços – Perigosíssimos. Devem sem mantidos isolados ou tamponados caso não estejam em uso. Locais com poço e que tenham crianças e idosos devem ter maior vigilância e cuidado;
  • Qualquer recipiente com diâmetro para que um bebê possa cair de cabeça ou com profundidade suficiente para conter pelo menos 2 centímetros de água deve ser mantido bem longe do alcance das crianças;

https://preveniremcasa.com.br/como-evitar-afogamentos-de-criancas/

A verdade é que se deve ter o máximo cuidado quando se tratar de riscos de afogamentos de crianças em situações que podem ser facilmente evitáveis se forem adotados algumas ações preventivas, de isolamento e bloqueio. A vigilância constante também é importantíssima para garantia da segurança dos pequenos.

Então, se você gostou destas informações e acha que mais pessoas precisam saber disso, compartilhe com elas. Aproveite e nos siga nas redes sociais, basta procurar por prevenir em casa.

Deixe um comentário